'El País': Banqueiro Joseph Safra é denunciado por suborno de funcionários da Receita Federal

Segundo homem mais rico do Brasil é acusado de oferecer 15 milhões de reais em propina

Matéria publicada no El País nesta sexta-feira (1), conta que o segundo homem mais rico do Brasil, Joseph Safra, dono do Grupo Safra, foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público Federal por corrupção. 

Segundo a reportagem, o banqueiro, que possui uma fortuna estimada em mais de 18 bilhões de dólares pela revista Forbes, é acusado de pagar propina de 15 milhões de reais para obter decisões favoráveis no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado à Receita Federal. Além de Safra, o ex-diretor do grupo, João Inácio Puga, também foi denunciado por envolvimento no esquema.

O jornal espanhol destaca que a ação foi elaborada a partir da operação Zelotes, que investiga fraudes no Carf. A entidade é uma espécie de tribunal que avalia recursos de multas aplicadas pela Receita. O MPF pediu também a condenação de dois servidores da Receita, Lutero Fernandes do Nascimento e Eduardo Cerqueira Leite, e de dois ex-servidores, Jorge Victor Rodrigues e Jeferson Ribeiro Salazar, que são suspeitos de atuarem como intermediários. 

De acordo com a denúncia que foi encaminhada na quarta-feira, a propina foi paga para que os servidores interferissem em três processos de interesse da empresa JS Administração de Recursos – sociedade empresarial do grupo Safra. Essas ações, somadas, envolviam cobranças de multas da Receita no valor de 1,49 bilhão de reais. O MPF pediu que os envolvidos respondam por corrupção ativa, corrupção passiva e falsidade ideológica