Aécio e Alckmin são vaiados na Paulista

Manifestantes chamaram senador de "corrupto" e governador de "ladrão de merenda"

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), foram vaiados neste domingo (13), ao chegarem nas manifestações que ocorrem na Avenida Paulista e que reivindicam, entre outras coisas, o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Manifestantes que apoiam os líderes tucanos tentavam abafar os xingamentos com buzinas, enquanto se avolumam, junto aos gritos de "Fora, PT", xingamentos de corrupto direcionados a Aécio Neves, citado algumas vezes por diferentes delatores da Lava Jato, e de "ladrão de merenda" contra Alckmin, cujo governo foi denunciado em esquema de fraude na compra de refeições para escolas públicas.

Diante de protestos contrários, os tucanos decidiram que não subiriam no carro de som para se pronunciar. De acordo com a reportagem da Folha de S.Paulo, Aécio ainda tentou cumprimentar um manifestante, mas ouviu a seguinte frase, ao apertar a mão do cidadão: "Você sabe que você também é ladrão". Aécio e Alckmin deixaram o local depois de 30 minutos da chegada, aos gritos de "bundões" e "oportunistas".

Onipresente em manifestações paulistanas na época em que era prefeita da capital, a senadora Marta Suplicy (PMDB-RJ) também foi vaiada ao tentar discursar no microfone.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais