Para Dilma, denúncias recentes sobre corrupção 'são repetições'

A presidenta Dilma Rousseff criticou os vazamentos das investigações da Operação Lava Jato nesta sexta-feira (15), durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto. Para a mandatária, as últimas denúncias divulgadas na imprensa sobre pedidos de doações a campanhas eleitorais para o PT "são repetições." Dilma se ofereceu ainda para fornecer todos os documentos sobre as licitações e contratos assinados pela estatal.

"Nos últimos dias tem havido denúncias. Essas denúncias são de vazamentos públicos. Eu não sei nem se as delações foram feitas ou não, se é delação de quem, vazamento de quem. Agora não tem nenhuma novidade nessa questão. Nenhuma", afirmou.

>> Dilma: esforço do governo é para impedir nível elevado de desemprego

Na avaliação da presidente, os vazamentos de quebra de sigilo telefônico que envolvem ministros do seu governo, como o chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, bem como as delações premiadas, precisam ficar mais claras. "Tem uma hora que fica difícil. A gente não sabe quem diz, quem falou e se é garantido. Não tem clareza para nós. Para nós, a pergunta nunca vem muito clara. Quem diz, é verdade que diz. Quem garante que diz? E disse aquilo mesmo? Em que contexto?", questionou.

Ela garantiu que o governo vai responder a todos os questionamentos feitos por jornais a respeito de "quem quer que seja". "Então, nós responderemos, eu responderei qualquer coisa em quaisquer circunstâncias. Tem uma parte que é pública e notória, é repetição, não tem novidade nenhuma. E não é desse ano não. Há dois anos que corre por aí. Já teve até em CPI. Então, querem a informação, eu dou, não só o calhamaço feito, mas todas as atas do Conselho da Petrobras." 

* Da Agência Brasil

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais