Ministros do TCU travam guerra com senadora petista por reajuste salarial

Ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) estão acusando a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) de tentar retaliar a Corte por conta da reprovação das contas de 2014 do governo federal. 

Gleisi é autora da PEC 62/2015 (Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que acaba com o reajuste automático de algumas carreiras, entre elas a de ministros do tribunal.

Atualmente, um ministro do Tribunal de Contas da União recebe mensalmente R$ 33 mil. Pela Constituição, o vencimento é reajustado sempre que ocorre aumento de salário para os ministros de tribunais superiores. Alguns dos ministros do TCU ainda acumulam aos salários suas aposentadorias do Congresso Nacional, onde foram parlamentares.

As acusações contra a senadora não procedem, já que a PEC é anterior ao parecer do TCU sobre as contas do governo. À "Folha de S.Paulo" desta quarta-feira (4), Gleisi afirmou que os ministros que alegam retaliação estão fugindo da transparência que tanto pregam.

"O TCU está com mania de perseguição. A PEC é de maio, portanto antes do debate sobre as contas do governo. Se alguém de lá está alegando isso, é para fugir da transparência. Casa de ferreiro, espeto de pau", rebateu a senadora.

Por Eduardo Miranda