The Guardian alerta: Mortes violentas no Brasil chegam a 58 mil 

A preocupação internacional é com relação a segurança durante as Olimpíadas

O jornal inglês publicou matéria alertando que o Brasil atingiu um novo pico de violência no ano passado, com mais de 58.000 mortes violentas. À medida que o país se prepara para sediar os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública disse que o número de mortes violentas subiu quase 5% no ano passado a partir de 2013, quando o país sofreu em seguida, alta de 55.000 mortes . A média é de um assassinato a cada hora, a mesma de El Salvador, a capital de homicídios do mundo.

The Guardian afirma que o relatório não oficial leva em conta homicídios, homicídio culposo, mortes por policiais e roubos que terminam em mortes. Enquanto assassinato continua a ser a principal causa de morte violenta no Brasil, além dos assassinatos de policiais e por policiais, que vem em segundo lugar, diz o comunicado. A prisão na quinta-feira, no estado de São Paulo, de cinco policiais e um guarda municipal, suspeitos de envolvimento em um massacre recente destacou a gravidade do problema. Um oficial já havia sido detido por estar ligado aos 13 assassinos, que em agosto desse ano, mataram 19 pessoas na maior área metropolitana do Brasil.

Segundo a matéria, a Bahia, no nordeste do país, é onde acontece o maior número de mortes, enquanto o pequeno estado nordestino de Alagoas teve a maior taxa de mortes violentas, com 66,5 por 100.000 habitantes. O número total de mortes é uma das mais altas do mundo, mas não é o mais alto em uma base per capita. Para efeito de comparação, El Salvador tem a maior taxa de homicídios do mundo, com uma taxa projetada de 92 mortes por 100.000 para 2015. Isso coloca-o à frente de seu vizinho da América Centra,l Honduras, 85/100.000 e Venezuela com 53/10.000. Os EUA tem uma taxa de 4,7 e no Reino Unido é de 1.