Deputados de seis partidos pedem cassação de Eduardo Cunha

Vinte e nove deputados federais protocolaram nesta quarta-feira (7) pedido de abertura de processo de cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por quebra de decoro parlamentar, na Corregedoria da Casa.

Cabe à Mesa Diretora, a partir da entrega do documento, se arquiva ou determina abertura de investigação. Em caso positivo, o órgão da Câmara pode elaborar um parecer para encaminhar ao Conselho de Ética da mesma Casa.

O entrave ao processo está no fato de o conselho estar sob a direção de aliados de Cunha. Se superada esta barreira, o plenário precisaria referendar a decisão com pelo menos 257 votos favoráveis.

Cunha é investigado na operação Lava Jato. Nos últimos dias, fatos agravantes, como a comprovação da existência de contas bancárias na Suíça, fizeram com que mais parlamentares pedissem a renúncia do presidente da Câmara.

Assinam o documento que pede a cassação de Eduardo Cunha os deputados Chico Alencar (PSOL-RJ), Alessandro Molon (Rede-RJ), Arnaldo Jordy (PPS-PA), Edmilson Rodrigues (PSOL-PA), Glauber Braga (PSOL-RJ), Ivan Valente (PSOL-SP), Jean Wyllys (PSOL-RJ), Eliziane Gama (Rede-MA), Aliel Machado (Rede-PR), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Júlio Delgado (PSB-MG), Henrique Fontana (PT-RS), Wadih Damous (PT-RJ), Érika Kokay (PT-DF), Padre João (PT-MG), Assis do Couto (PT-PR), Moema Gramacho (PT-BA), Luiz Couto (PT-PB), Margarida Salomão (PT-MG), Helde Salomão (PT-ES), João Daniel (PT-SE), Paulão (PT-AL), Adelmo Carneiro Leão (PT-MG), Raimundo Angelim (PT-AC), Maria do Rosário (PT-RS), Cabo Daciolo (sem partido-RJ), Marcon (PT-RS) e Leonardo Monteiro (PT-MG).

Por Eduardo Miranda