Polícia Federal vai investigar explosão de bomba no Instituto Lula, diz Cardozo

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou nesta sexta-feira que já acionou a Polícia Federal para colaborar nas investigações do atentado sofrido pelo Instituto Lula, em São Paulo, na noite de quinta-feira (30). Cardozo afirmou que foi informado sobre o caso e logo entrou em contato com o diretor-geral da Policia Federal, Leandro Daiello, para "ver se cabe à Policia Federal fazer alguma coisa". 

Ele quer que a instituição dialogue com autoridades paulistas para, "dentro das nossas competências, analisarmos o que aconteceu e tomarmos decisões", disse o ministro.

Cardozo confirmou que podem ser necessárias medidas protetivas para o instituto, diante da hipótese de atentado político, onde atua o ex-presidente da Republica Luiz Inácio Lula da Silva.

A Polícia Civil do estado de São Paulo também foi acionada para investigar o ataque. "Evidentemente, é uma situação que merece investigação, e claro, identificados os autores de uma iniciativa dessa natureza, é necessário puni-los", completou Cardozo.

>> PT: ataque a Instituto Lula é agressão à democracia

O ataque

O Instituto Lula informou que o objeto foi arremessado de dentro de um veículo. Não houve feridos, "apenas danos materiais de pequena monta". 

"A que ponto chegou o ódio?", perguntou, pelo Twitter, o presidente do diretório estadual do PT em São Paulo, Emídio de Souza.

O Instituto Lula divulgou nota:

Ataque político ao Instituto Lula

Por volta das 22h desta quinta-feira (30), a sede do Instituto Lula, em São Paulo, foi alvo de um ataque político com artefato explosivo. O objeto foi arremessado contra o prédio do Instituto de dentro de um carro. Felizmente, não houve feridos.

O Instituto Lula já comunicou as polícias civil e militar, o secretário de Segurança Pública do Estado de S. Paulo e o ministro da Justiça, e espera que os responsáveis sejam identificados e punidos.

A Secretaria da Segurança Pública encaminhou o boletim de ocorrência ao 17º Distrito Policial de São Paulo, localizado também no Ipiranga. Procurados, os responsáveis pelo 17º DP disseram que a divulgação de novidades nas investigações continuará sendo feita pela Secretaria. 

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Secretaria informou que o secretário de Segurança Alexandre de Moraes conversou pela manhã com José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, sobre a ocorrência. A perícia já foi determinada e as investigações estão em andamento.