Jacques Wagner rebate editorial do 'Financial Times'

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, rebateu nesta quinta-feira o editorial do jornal britânico "Financial Times" que fez duras críticas ao governo e afirmou que o país "tem sido comparado com um filme de terror sem fim". "Esse jornal nunca olhou para o Brasil com bons olhos. A adjetivação deles eu prefiro que eles guardem com eles. Nós estamos num filme de superação e, como todo filme de superação, é um filme de dificuldade", disse Wagner.

O ministro reconhece que o Brasil já teve momentos melhores, mas agora estamos num momento de dificuldade. "Vamos superar como superamos e vamos chegar lá. Quem sabe o Financial resolve dizer que foi um conto de fadas", acrescentou o ministro, após visitar no Rio o navio de pesquisa hidroceanográfico.

Com o título "Recessão e corrupção: a podridão crescente no Brasil", o jornal britânico cita a Operação Lava Jato e atribui a crise aos escândalos de corrupção envolvendo a Petrobras. 

O jornal afirma que, embora poucos acreditem que Dilma seja corrupta, as acusações envolvendo o financiamento da campanha da petista em 2014 e as pedaladas fiscais podem ser "suficientes para o impeachment".

Sobre a economia, o periódico cita a desistência da "nova matriz econômica" e elogia as medidas que estão sendo tomadas para corrigir os erros do passado. O "FT" destaca o pragmatismo dos brasileiros e destaca que Dilma sentirá "solidão no poder" nos próximos três anos. "Brasileiros são pragmáticos. Então, o pior cenário de um impeachment caótico pode ser evitado. Ainda assim, mercados começam a colocar no preço esse risco. Pode ser muito bem que tempos piores ainda estejam por vir para o Brasil", diz o texto.