Paes diz que guerra entre PT e PSDB é "tragédia" para o país

Prefeito do Rio 

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), criticou nesta quarta-feira (22), durante sabatina promovida pela Folha de S. Paulo e pelo portal UOL, a relação entre PT e PSDB no atual cenário político, classificando a dicotomia como "uma tragédia para o Brasil". Segundo ele, é por este cenário que o PMDB ganhará as próximas eleições presidenciais.

"Virou uma relação tão pessoal, de ódio. Desculpa aqui fazer uma comparação ruim, mas sabe aquela coisa de ex-marido e ex-mulher? Eu não sei quem começou, não me importa, mas é uma coisa esquisitíssima. Os dois partidos que protagonizam a cena política brasileira, se for para ferrar o outro, fazem qualquer coisa, inclusive ferrar o Brasil. Por isso que o PMDB vai ganhar a [próxima] eleição [presidencial]", disse.

O nome de Eduardo Paes não é descartado para a candidatura ao Planalto em 2018. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já disse mais de uma vez que Paes é seu candidato a presidente. 

Questionado se apoiaria o atual presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), em uma eventual eleição presidencial, Paes afirmou: "Se Eduardo Cunha fosse o candidato do meu partido, eu apoiaria".

Outro nome considerado pelo partido é o do vice-presidente da República, Michel Temer, e o do próprio Cunha, que acaba de ser prejudicado após denúncia da Lava Jato que o acusa de receber US$ 5 milhões em propina.