Dilma: "Até reis defendem seus interesses nacionais"

Presidente diz que ficou indignada com abertura de investigação contra Luiz Inácio Lula da Silva

A presidente Dilma Rousseff se disse "indignada", nesta segunda-feira, com a abertura de um inquérito contra o ex-presidente Lula por suspeita de tráfico de influência internacional e no Brasil em favor da empreiteira Odebrecht.

Durante reunião com a coordenação política do governo, a presidente pediu a seus ministros que façam uma defesa enfática do ex-presidente neste momento de dificuldade para o petista, segundo reportagem da Folha de S. Paulo.

A investigação foi aberta pelo procurador Valtan Timbó, da Procuradoria do Distrito Federal, depois que a procuradora Mirella Aguiar já havia afirmado não haver indícios para uma investigação sobre o caso – apenas "narrativas do representante e da imprensa desprovidos de suporte provatório suficiente".

Na reunião com a coordenação política, Dilma questionou: "No mundo, reis, príncipes, presidentes e ex-presidentes defendem as empresas e interesses nacionais. No Brasil, querem dizer que isso é crime?".

Diante da notícia de abertura de inquérito, o Instituto Lula voltou a rebater as acusações do Ministério Público, como já havia feito em outras ocasiões, e pediu ao Conselho Nacional do Ministério Público a suspensão da investigação, que de acordo com o ex-presidente, é "irregular".

>> Damous: ação contra Lula é "aberração jurídica"