Jovem que atropelou gari é indiciada por quatro crimes em São Paulo

A estudante de arquitetura Hivena Queiroz Del Pintor Vieira, de 24 anos, acusada de ter atropelado e matado o gari Alceu Ferraz, de 61 anos, prestou depoimento no 3° DP de São Paulo (SP) nesta segunda-feira (22) e foi indiciada por quatro crimes: homicídio culposo, lesão corporal, omissão de socorro e fuga do local do acidente. A informação é da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

De acordo com a SSP, a jovem reafirmou ao delegado Marcelo Dias que fugia de uma tentativa de assalto no momento do incidente, na madrugada do dia 16 de maio, quando atropelou uma pessoa no Centro da capital e, por isso, foi embora sem prestar assistência.

A acusada afirmou ainda que, naquele dia, ao chegar em sua casa, em Moema, ligou para a Polícia Militar e foi orientada a procurar uma delegacia para registrar o boletim de ocorrência. Isso foi feito no 8º DP poucas horas depois do atropelamento. O B.O. contém a mesma versão da história relatada por ela nesta segunda.

"Não foi pedida a prisão da acusada, já que, além de não haver flagrante, ela apresentou-se espontaneamente, tem endereço fixo e não oferece obstáculo ao andamento das investigações. Após denúncia anônima, o carro que teria atingido as vítimas foi localizado pela Polícia Militar e apreendido no último sábado, a pedido da delegada Maria Cecília Castro Dias, do 96º DP. O veículo já passou por uma perícia inicial e outra complementar, para a coleta de material. A investigação segue com o depoimento de outras testemunhas e levantamento de informações", completou, em nota, a secretaria.

Procurado pelo Terra, o advogado Artur Osti, responsável pela defesa da estudante, alegou que ainda não houve, de fato, o indiciamento. "O indiciamento é o último ato do inquério. Outras perícias vão acontecer. Temos que aguardar", declarou, ressaltando que sua cliente já prestou depoimento e continua à disposição para novos esclarecimentos.