Mulher de governador de Minas "viu com surpresa" operação da PF

Mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, Carolina Oliveira viu com surpresa a operação de busca e apreensão feita nesta sexta-feira (29) pela Polícia Federal (PF) na residência onde morou em Brasília, informou o advogado Pierpaolo Bottini, ao falar sobre as investigações no âmbito da Operação Acrônimo. 

Entre os endereços visitados, os agentes envolvidos na operação de busca e apreensão estiveram em um apartamento usado até o ano passado pela mulher do governador. As investigações visam a desarticular um esquema de lavagem de dinheiro.

“A senhora Carolina Oliveira tomou conhecimento das investigações realizadas pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira, mas viu com surpresa a operação de busca e apreensão realizada em sua antiga residência, em Brasília”, disse Bottini. O advogado acrescentou ainda que a primeira-dama de Minas Gerais “acredita que a própria investigação vai servir para o esclarecimento de quaisquer dúvidas”.

A PF cumpriu 90 mandados de busca e apreensão em Minas Gerais, no Rio Grande do Sul, em Goiás e no Distrito Federal. Cerca de 30 endereços de pessoas físicas, incluindo o apartamento de Carolina Oliveira, e 60 de pessoas jurídicas foram alvo da operação. De acordo com o delegado responsável pela ação, Dennis Kali, o governador de Minas Gerais não é alvo das investigações.

Além das buscas e apreensões, a Polícia Federal prendeu cinco pessoas. Entre elas, Benedito de Oliveira Neto, conhecido como Bené, dono da Gráfica Brasil. No ano passado, Bené atuou na campanha do então candidato e atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. Também foi preso o ex-assessor do Ministério das Cidades Marcier Trombiere.