Alckmin: inauguração de reservatórios aumenta regularidade no abastecimento

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, inaugurou hoje (25) dois reservatórios de água com capacidade para 11 milhões de litros de água, na cidade de Itapecerica da Serra, na grande São Paulo. O objetivo é poupar os mananciais paulistas, já que o estoque de água em pontos estratégicos ajuda a reduzir perdas na distribuição e aumenta a regularidade no abastecimento.

De acordo com Alckmin, a região metropolitana tem agora oito reservatórios prontos, sete praticamente concluídos e mais 14 em construção. “Teremos 29 novos reservatórios até o final do ano ou início do ano que vem, com capacidade total de 230 mil metros cúbicos de água”, disse o governador.

A regularidade no abastecimento, segundo o governador, significa menor possibilidade de faltar água para a população. “Quando tem uma adutora por quilômetros e quilômetros distribuindo água, aquele bairro que fica mais longe, além de sofrer mais, perde mais água, pois a pressão precisa ser muito forte para a água chegar numa distância tão grande”, disse ele.

Com os dois reservatórios novos em Itapecerica da Serra, haverá também a diminuição das perdas de água, evitando o desperdício de 82 litros por segundo. Alckmin destacou que a tecnologia usada na construção dos reservatórios, com placas metálicas, custou metade do valor e levou sete meses para a conclusão das obras, enquanto o modelo convencional, de concreto, levava dois anos.

Na coletiva concedida à imprensa, o governador descartou novamente a possibilidade de rodízio. “O trabalho feito de integração dos sete sistemas de abastecimento de São Paulo, mais a economia da população e as obras que estão ficando prontas, tudo isso, no conjunto, descarta o rodízio”, disse.

Alckmin respondeu também a perguntas dos jornalistas sobre as greves dos professores e dos metroviários. Quanto aos servidores do metrô, o governador reiterou que a proposta mantida é a correção salarial pela inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC). “Todo mundo sabe da grande crise econômica que o país está atravessando”, declarou.

Em relação aos professores estaduais, Alckmin disse que avaliará apenas em julho a possibilidade de reajuste salarial. “A educação tem seis sindicatos, só um decretou a greve. Na semana passada, foi menos de 5% [de adesão]. Os alunos estão tendo aula, os professores estão dando aula. A greve é mínima”, declarou.