PF investiga Andrade Gutierrez e mais oito empresas

No último sábado, Jornal do Brasil antecipava a informação

Como o Jornal do Brasil antecipou no último sábado (24), a Polícia Federal instaurou novos inquéritos no âmbito da Operação Lava Jato para investigar possíveis irregularidades cometidas por mais um grupo de empresas fornecedoras da Petrobras. As novas investigadas são Andrade Gutierrez, MPE Montagens Industriais, Alusa, Promon, Techint, Skanska?, Carioca Engenharia, Schahin e Setal Engenharia Construções e Perfurações. Segundo a Polícia Federal, também serão investigados dirigentes e funcionários destas empresas eventualmente envolvidos em irregularidades.

Especificamente no caso da Andrade Gutierrez, denunciada pelo delator Paulo Roberto Costa, a construtora pode entrar no grupo de empresas que deveriam ser declaradas inidôneas a partir da participação em esquema de propina e corrupção. Como o JB publicou, levando em conta a proporção que os negócios da empresa atingiu, por ela mesma e pela participação em empresas de outros setores, como em obras da Olimpíada de 2016, a questão não seria medir o impacto negativo para o país de um futuro impedimento de sua presença em licitações, por exemplo, mas, sim, a necessidade de impedir que os tentáculos aumentem e o problema fique ainda maior; e avaliar ainda o que permite que uma empresa, agora publicamente suspeita de ligações duvidosas, alcance tamanha participação em um país. Os tentáculos do grupo estão tão espalhados em tantos serviços, que, se ele quebra, o Brasil pode realmente "parar". O que deveria ser estancado, então, seria a participação em novos projetos. 

>> Com novas provas da Lava Jato, Andrade Gutierrez pode ser declarada inidônea

>> A concentração de renda no Brasil, as heranças e as empreiteiras

>> Ser acusado de corrupção com dinheiro do povo pode.Tratar povo como burro, não

A Operação Lava Jato tem 18 ações penais em curso e duas sentenças já foram proferidas, uma em relação à doleira Nelma Penasso Kodama e outra de envolvidos em tráfico de drogas. O doleiro Alberto Youssef aparece como denunciado em 10 destas ações.