Agentes ensinam a colegas técnicas de trabalho com adolescentes internados

José Carlos Amaral e Márcio Saldanha são agentes do Sistema Socioeducativo do Distrito Federal. Assim como os demais, passaram por um treinamento básico antes de ingressar em uma unidade de internação para lidar com adolescentes em conflito com a lei. 

Praticantes de artes marciais e defesa pessoal, ambos perceberam que teriam dificuldades em determinados momentos se não tivessem conhecimento prévio. Assim, desenvolveram um curso para ensinar técnicas básicas a seus colegas.

“Quando entramos, a capacitação foi muito rasa. O agente entra no sistema carente disso. Então, quando aconteciam certas intervenções, sabíamos como proceder, sem causar lesão nenhuma”, explicou Saldanha. “Apresentamos o projeto para a subsecretária do Sistema Socioeducativo. Ela comprou a ideia, porque acreditou que está em sintonia com o que todos esperam do sistema”, completou.

Desde o início de 2014, Amaral e Saldanha já treinaram aproximadamente 500 servidores do sistema. Além de agentes, o treinamento também inclui outros profissionais que trabalham com adolescentes nas unidades de internação. Psicólogos, assistentes sociais, pedagogos e técnicos administrativos já fizeram o curso.

“Não basta o agente saber. Às vezes, o assistente social olha a situação e não entende o que está ocorrendo. É uma forma de fazer uma integração com a equipe, de modo que eles entendam o trabalho, que deve ser feito em conjunto”, explicou Amaral.

O curso pode ser dividido em módulos ou ministrado integralmente, em 30 horas. Amaral lembrou que o treinamento é dividido em partes teóricas e práticas. “No curso, falamos sobre legislação, sobre o adolescente e também abordamos as contenções, como fazer isso de forma a preservar o adolescente, o que deve ser feito. A gente prepara o servidor mentalmente e na prática”.