Temer lamenta morte de Thomaz Bastos: "perda da advocacia"

Ex-ministro da Justiça está sendo velado na Assembleia Legislativa de São Paulo

O vice-presidente da República, Michel Temer, lamentou a morte do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos dizendo ser uma perda de um símbolo da democracia e da vida pública. “Em primeiro lugar, perco um grande amigo. Sou amigo dele há 35 anos. Mas, mais do que isso, é uma perda para a advocacia”, afirmou o vice-presidente na Assembleia Legislativa de São Paulo, na capital paulista, onde acontece o velório. 

“Ele era um símbolo da democracia brasileira, é uma perda para a vida pública, porque o Márcio Thomaz Bastos representou uma grande fidelidade extraordinária à atividade pública. Tanto que foi defensor incontestável dos direitos humanos, do estado de direito e da democracia.”

Temer ainda ressaltou a importância de Márcio Thomaz Bastos como ministro da Justiça. “Foi uma participação extraordinária de incentivo ao estado de direito”, afirmou.

A presidente Dilma Rousseff deve chegar ao local nesta tarde, acompanhada do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Velório

A viúva de Márcio Thomaz Bastos, Maria Leonor de Castro Bastos, chegou por volta das 15h15 ao velório, acompanhada de Marcela Bastos, filha do ex-ministro. Algumas autoridades mandaram coroas de flores, como José Eustáquio e Família, José Monteiro de Barros, Grupo Fasano, Instituto Innovare, e os políticos Delfim Neto, ex-ministro da Fazenda e do Planejamento, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O corpo de Thomaz Bastos deve ser encaminhado ao crematório Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, às 8 horas de sexta-feira e chegar ao local às 9h.

>> Morre o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos

>> Dilma lamenta morte de ex-ministro 

>> Presidente segue para SP para velório

>> Ex-presidente Lula diz que Bastos foi 'homem raro na história do país' 

>> Thomaz Bastos será sempre inspiração para defesa do estado de direito, diz OAB

>> Presidentes do Senado e da Câmara lamentam morte de ex-ministro

>> Alckmin diz que Brasil perdeu um dos maiores defensores do Estado de Direito