Operação desarticula quadrilha do jogo do bicho em MG

O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG), a Receita Federal e a Polícia Federal deflagraram na tarde de terça-feira a operação Jackpot, para desarticular organização criminosa responsável pelo controle do jogo do bicho em Varginha, Elói Mendes e Três Pontas, no sul de Minas Gerais.

Foram cumpridos 38 mandados de prisão e 37 mandados de busca e apreensão em residências e empresas supostamente ligadas à organização criminosa. A Justiça também expediu 17 medidas de sequestro e bloqueio de bens. Participaram da operação 190 policiais federais, 13 auditores fiscais, 30 policiais rodoviários federais, promotores de Justiça de Varginha, Lavras e Três Corações, além de servidores do MP-MG.

As investigações tiveram início quando foi instalada uma força-tarefa composta por promotores de Justiça, servidores da Receita Federal e policiais federais com o objetivo de combater uma organização criminosa que atuava no jogo do bicho e praticava crimes de corrupção policial, lavagem de dinheiro e sonegação de tributos. O prejuízo aos cofres públicos pode chegar a R$ 30 milhões.

Os infratores responderão pelos crimes de jogo de azar, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de bens e valores, cujas penas somam mais de 20 anos de prisão. A operação foi denominada Jackpot em alusão ao termo usado na prática de jogos de azar, quando um prêmio é acumulado ou alguém tira a sorte grande no jogo.