Polícia prende casal envolvido na morte de estudante da Unicamp

A Polícia Civil de Campinas cumpriu no final da noite de sexta-feira a ordem de prisão de Maria Teresa Peregrino, 20 anos, e Anderson Mamede, 21 anos, que estão envolvidos na morte de Denis Casagrande, 21 anos. O estudante morreu há uma semana durante uma festa no campus da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Um dia após o falecimento do jovem, Maria Teresa confessou a polícia ter esfaqueado o universitário e Mamede, seu namorado, afirmou que agrediu a vítima com um skate.

Segundo Maria Teresa, a  agressão começou depois que o estudante a assediou e ela agiu em legitima defesa. Ela usou uma faca que costumava levar consigo. Mamede chegou a ser atendido no pronto socorro com um corte de faca na perna direita, mas no meio da semana disse ao delegado que ele próprio se cortou com um canivete. Uma faca encontrada próximo ao local do crime passará por perícia.

A prisão temporária por 15 dias do casal foi decretada pelo juiz da 2ª Vara do Juri, José Henrique Rodrigues Torres. Após exames de corpo delito, Maria Teresa seguiu para a Cadeia Feminina de Paulínia, interior de São Paulo, e Anderson Mamede para uma cela anexa ao 2º Distrito Policial, no bairro São Bernardo, onde aguarda uma vaga em um Centro de Detenção Provisória.

O estudante Denis Casagrande cursava o 2º ano de Engenharia de Controle e Automação na Unicamp. Ele morava em uma república e sua família é de Piracicaba, interior de São Paulo. Ele participava da festa organizada por estudantes quando houve uma briga generalizada. Ele foi atingido por várias pessoas na confusão.

A polícia ainda não concluiu o inquérito e aguarda os resultados dos laudos do IML para saber as causas da morte de Casagrande. Segundo o delegado, ele recebeu um golpe de faca no peito, mas seu corpo apresentava vários hematomas provocados por socos e pontapés que recebeu.

A Unicamp emitiu duas notas oficiais informando que a festa não tinha autorização da universidade. Na sexta-feira, representantes da universidade disseram que a Unicamp está estudando um plano de segurança de seu campus envolvendo policiais militares.