TSE já apurou as denúncias feitas pelo Rede Sustentabilidade

Partido reclama da morosidade proposital dos cartórios 

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Carmem Lúcia, já está de posse das informações que solicitou aos tribunais regionais (TREs) sobre a denúncia feita pela ex-senadora Marina Silva de que os cartórios eleitorais estão sendo morosos na certificação das assinaturas para a criação do Rede Sustentabilidade. Marina alega que, como vários cartórios tem em seus quadros funcionários cedidos por prefeituras, há uma lentidão proposital com relação ao processo de verificação da autenticidade das assinaturas.

“A denúncia feita por Marina se baseou no fato de que 95 mil assinaturas encaminhadas a esses cartórios foram devolvidas sem fundamentação e isso não pode acontecer porque significa uma devolução sem nenhum parecer”, afirma o deputado Miro Teixeira que está colaborando com a criação do partido. Segundo ele, no caso das assinaturas rejeitadas, os cartórios deveriam se manifestar alegando o motivo da não aceitação, o que não ocorreu.

De acordo com Miro Teixeira, a coleta feita pelo Rede Sustentabilidade já cehgou a mais de 800 mil assinaturas, enquanto que o mínimo exigido para formação do partido era de 492 mil. Ainda esta semana os representantes do partido deverão encaminhar aos presidentes dos 27 TREs um requerimento formal solicitando que determinem aos cartórios, sob sua jurisdição, que no prazo de 72 horas, certifiquem as assinaturas com prazos vencidos e encaminhem às respectivas corregedorias todas as certidões emitidas nesse período.

Nesta quinta-feira (19), a Rede Sustentabilidade anexou ao processo de criação do partido junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) mais 136 mil fichas de apoio certificadas pelos cartórios eleitorais de todo o país. Somadas às 304 mil entregues no dia 26 de agosto, a Rede chega ao número de 440 mil assinaturas validadas.