Alckmin anuncia processo do governo de SP contra a Siemens

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta terça-feira um processo do governo do Estado contra a Siemens após denúncias de formação de cartel em licitações do Metrô, feitas pela Federação Nacional dos Metroviários (Fenametro). A organização sindical entregou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) nova denúncia na última segunda-feira, apontando irregularidades envolvendo contratos para a reforma de trens. Uma das empresas envolvidas nas suspeitas de irregularidades é a Siemens.

"Se ficar comprovado que outras empresas participaram desse conluio, todas serão punidas. (...) Conluio entre empresas no mundo inteiro não é fácil ser identificado. O Cade, que é responsável sobre isso, só conseguiu porque uma empresa foi lá e fez uma denúncia. A punição rigorosa e exemplar vai servir de exemplo para todas as empresas", afirmou Alckmin.

Segundo a Fenametro, "em 2009, o Metrô decidiu abrir concorrência para reformar 98 trens, alguns com mais de 30 anos de uso, ao custo total de R$ 1,75 bilhão". O Metrô, de acordo com a federação, preferiu restaurar os trens do que comprar composições novas - por isso, "seria natural supor que o Metrô teria uma economia considerável".

Porém, segundo a federação dos metroviários, "a licitação para reforma dos trens chegou a um custo final de 86% ao valor de um trem novo, causando prejuízos milionários ao erário público". A Fenametro afirma que "houve uma distribuição entre as empresas (...), feita de tal forma que cada uma ficou com uma frota".