Barbosa diz que não foi descortês com Dilma em evento com papa

O Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou nota informando que o ministro Joaquim Brabosa não foi descortês com a presidente Dilma Rousseff ao deixar de cumprimentá-la na cerimônia de recepção ao papa Francisco, no Palácio Guanabara, no Rio de Janeiro, na última segunda-feira (22). Segundo imagens captadas por câmeras de televisão, Barbosa se dirigiu apenas ao papa e não cumprimentou Dilma, que estava ao lado do pontífice.

"O ministro repudia interpretação de que teria sido deselegante com a presidente e ratifica seu respeito pelos Poderes constituídos", diz a nota. O texto informa que Barbosa ficou surpreso com a versão de que tenha sido descortês com a chefe do Executivo, alegando que as imagens captadas por determinados ângulos deram margem para versões "que não encontram amparo na realidade".

A nota informa ainda que Barbosa tem mantido "relacionamento institucional de alto nível" com a presidente Dilma, que seria comprovado por duas audiências recentes entre ambos no Palácio do Planalto. Destaca, também, que Barbosa ficou por mais de uma hora com a presidente em uma sala reservada antes do início da cerimônia, e que já na presença do papa, trocou um "discreto sorriso" com Dilma.

"Isso porque avaliou não ser necessário novo cumprimento protocolar, uma vez que isso já havia ocorrido por ocasião de sua chegada ao Palácio", complementa a nota, assinada pela Secretaria de Comunicação do STF.