Vice-presidente dos EUA dá explicações a Dilma sobre espionagem

O vice-presidente americano, Joe Biden, telefonou na noite desta sexta-feira para prestar esclarecimentos sobre a denúncia de espionagem realizada pelo governo de seu país, por meio da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês), a e-mails e telefonemas de cidadãos e instituições brasileiros. Segundo a ministra da Comunicação Social, Helena Chagas, Biden reiterou o convite para que uma delegação brasileira receba explicações técnicas sobre o caso.

"Ele (Biden) deu explicações mais gerais e reiterou o convite já apresentado pelo embaixador Thomas Shannon de que vá uma delegação de brasileiros a Washington para receberem mais explicações técnicas e políticas mais detalhadas", informou a ministra. A conversa ocorreu a partir das 19h e durou cerca de 25 minutos. Segundo Helena Chagas, o tom da conversa foi amistoso, porém "firme" por parte da presidente brasileira.

"A presidente expressou grande preocupação com o que houve, com a invasão de privacidade. Disse que espera esclarecimentos, que (o assunto) vai além do governo brasileiro, mas também atinge a sociedade brasileira", disse. "Além das explicações, ela espera esclarecimentos e mudanças de política. Que as políticas sejam alteradas para que não possa haver risco de violação de privacidade."

De acordo com a ministra, a presidente aceitou o convite e enviará uma comissão, mas ainda não há data para a reunião nem composição do grupo. O colegiado deverá ser formado por representantes dos ministérios de Defesa, Justiça, Comunicações e Relações Exteriores, além do Gabinete de Segurança Institucional - pastas que vêm acompanhando o caso.

As repercussões do caso não abalaram o planejamento de Dilma em viajar para os Estados Unidos em visita de Estado. Segundo a ministra da Secretaria de Comunicação Social, no entanto, Dilma "espera que, quando houver a viagem, o episódio esteja superado".