Tá nas redes: vídeos em inglês se proliferam e levantam questionamentos

Em meio aos protestos que mobilizam o país nas últimas semanas, denúncias levantam suspeitas sobre o excesso de vídeos em inglês sobre as manifestações e põem em xeque algumas das publicações mais vistas no Youtube. 

Circula na internet um texto intitulado "What is this, companheiro?", descrevendo diversos vídeos publicados no Youtube sobre o atual momento do país, mas que são falados em inglês e visivelmente editados em estúdio, com o uso de técnica sofisticada, qualidade de som e iluminação. Bem diferentes dos vídeos genuínos, feitos pelos manifestantes, que mostram de forma espontânea a essência dos protestos, sem priorizar qualidade de edição.

Entre os vídeos publicados, o texto que faz a denúncia cita os do movimento chamado #changebrazil (muda Brasil), que foram vistos por mais de 1 milhão de pessoas. Há ainda outro, intitulado "Please Help us" (por favor, nos ajude), visto por mais de 1 milhão e 300 mil pessoas que estimula, em um inglês perfeito, os jovens contra a política, enaltecendo o STF e criticando a mídia.

>> Veja aqui

"Que movimento pelo Passe Livre faria um vídeo em inglês ? Quem é esse sujeito? Quem pagou essa produção, feita em estúdio com teleprompter?", questiona o texto que circula na internet denunciando as supostas manipulações.

Um outro vídeo em que aparece uma pessoa falando em português, mas com pesado sotaque, destaca a tomada do Congresso Nacional e cita as hashtags #changebrazil e o #brazilacordou. Na altura do minuto 2:06,  ele diz para as pessoas produzirem material para o exterior porque “quanto mais pessoas colocarem pressão sobre o Brasil, mais rápido o Brasil terá que se dobrar”.

>> Veja aqui

Também já ficou famoso o vídeo de Carla Dauden, uma brasileira que mora em Los Angeles, falando em inglês (com legendas em português), contra a Copa do Mundo.  Mais de 2 milhões de pessoas já viram o vídeo. 

>> Veja aqui