Governo reafirma: 'não há um centavo do Orçamento na construção de arenas'

O Portal do Planalto divulgou, na tarde deste domingo (23), um comunicado oficial dos ministérios do Esporte e do Planejamento, reafirmando o que disse a presidente Dilma Rousseff no pronunciamento à Nação, na última sexta-feira (21): "não há um centavo do Orçamento da União direcionado à construção ou reforma das arenas para a Copa".

A nota contesta a matéria veiculada pelo Portal UOL, assinada por Rodrigo Mattos e Vinicius Konchinski, que, segundo o governo, "distorce informações, faz relações incorretas e induz o leitor a uma interpretação errada dos fatos". A reportagem diz que, ao contrário do que diz Dilma, a União põe R$ 1,1 bilhão em estádios da Copa.

A nota do Planalto informa que "há uma linha de empréstimo, via BNDES, com juros e exigência de todas as garantias bancárias, como qualquer outra modalidade de crédito do banco. O teto do valor do empréstimo, para cada arena, é de R$ 400 milhões, estabelecido em 2009, valor que permanece o mesmo até hoje. O BNDES tem taxas de juros específicas para diversas modalidades de obras e projetos. O financiamento das arenas faz parte de uma dessas modalidades".

"Não houve qualquer aporte de recursos do Orçamento da União nos últimos anos para a Terracap (Companhia Imobiliária de Brasília). Portanto, a matéria do UOL está errada. Não há recurso algum do Orçamento da União para a obra de nenhuma das arena, o que inclui o Estádio Nacional Mané Garrincha", garantem os ministérios.

"Isenções fiscais não podem ser consideradas gastos, porque alavancam geração de empregos e desenvolvimento econômico e social, e são destinadas a diversos setores e projetos. Só as obras com as seis arenas concluídas até agora geraram 24.500 empregos diretos, além de milhares de outros indiretos, principalmente na área da construção civil", prossegue a nota oficial.

Ainda segundo o Planalto, "é importante reforçar que todos os investimentos públicos do Governo Federal para a preparação da Copa 2014 são em obras estruturantes que vão melhorar em muito a vida dos moradores das cidades. São obras de mobilidade urbana, portos, aeroportos, segurança pública, energia, telecomunicações e infraestrutura turística".

Os ministérios concluem, ressaltando que a realização de megaeventos representa para o país uma oportunidade para acelerar investimentos em infraestrutura e serviços, melhorando as cidades e a qualidade de vida da população brasileira. "Os investimentos fortalecem a imagem do Brasil, de seus produtos no exterior e incrementa o turismo no país, gerando mais empregos e negócios para o povo brasileiro".