Quase 2 milhões de brasileiros participaram de manifestações em 438 cidades

Levantamento divulgado hoje (21) pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que ontem houve protestos em pelo menos 438 cidades de todos os estados brasileiros. Quase 2 milhões de brasileiros fizeram manifestações pela redução das passagens do transporte público, contra os gastos com as obras da Copa do Mundo, pelo aumento dos recursos para a saúde e educação e contra a corrupção e a impunidade. 

Para o presidente do CMN, Paulo Ziulkoski, ainda não se pode mensurar o que as manifestações podem trazer de concreto para a sociedade, mas para ele os protestos são positivos, pois acabam conscientizando a população e mostram cidadãos mais ativos. Além disso, para o presidente, os atos vão fazer todas as esferas do governo reverem seus conceitos.

Segundo, Ziulkoski a maioria dos confrontos aconteceu em cidades grandes e médias, nas pequenas os manifestos foram pacíficos. Ele disse que houve manifestos inclusive em municípios de 5 mil e 10 mil habitantes. "Ainda vamos fazer um levantamento mais detalhado".

Os movimentos tiveram início com protestos pela redução da passagem de ônibus na capital paulista. O Movimento Passe Livre, que mobilizou São Paulo com esse tema, defende um em última instância um transporte público gratuito para toda a população.

Ziulkoski classifica como irracional um projeto que preveja transporte público gratuito para todos, pois alguém vai ter que arcar com os custos. “Hoje 62% do custo do transporte público tem subsídio ou isenção. O nosso legislador apregoa benefícios mas não existe almoço grátis”, disse o presidente do CNM.