Confronto em Fortaleza deixa pelo menos oito policiais feridos

O confronto registrado nesta terça-feira durante manifestação realizada no entorno da Arena Castelão, em Fortaleza, foi causado por baderneiros infiltrados em manifestação realizada contra o alto investimento do governo na organização da Copa do Mundo de 2014, segundo o coronel João Batista. Responsável pelo policiamento na área, ele afirmou que parte dos manifestantes tentou evitar o uso de violência.

A confusão ocorreu quando manifestantes encontraram bloqueio montado na esquina da Rua  Alberto Craveiro com a rua Pedro Dantas. A tensão se transformou em conflito, com a Tropa de Choque utilizando bombas de efeito moral - com gás lacrimogêneo - e spray de pimenta.

"Nós viemos sem armas letais. Não queríamos confronto, mas a partir do momento em que começaram a tacar pedras e paus para cima da gente, tivemos que usar bombas para dispersar a multidão", afirmou o coronel João Batista. Segundo ele, algumas pessoas arrancaram tapumes que isolavam uma casa em obras na região para se armar com pedras e paus, que foram atirados.

O coronel ainda afirmou que algumas pessoas tentaram evitar confusão. "O pessoal que estava logo à nossa frente estava tentando controlar o resto. Eles viraram de costas para nós e pediram para a multidão ter calma", disse. Manifestantes consultados pelo Terra disseram que a polícia iniciou o confronto. Já o coronel Batista creditou o início do tumulto a pessoas infiltradas no protesto justamente para arrumar confusão.

Oito policiais ficaram feridos, incluindo o coronel João Batista, que tinha uma bandagem no braço. Até as 13h30, havia a confirmação de um manifestante ferido: um homem que entrou em choque e foi encaminhado a um hospital da região.