'Essas vozes precisam ser ouvidas', afirma Dilma sobre protestos

A presidente Dilma Rousseff garantiu nesta terça-feira que seu governo está atento às pressões sociais das ruas, decorrentes da onda de protestos contra o aumento das tarifas do transporte público no país. A presidente falou pela primeira vez sobre as manifestações que vêm ocorrendo em diversas cidades do Brasil nos últimos dias e defendeu o povo, afirmando que "essas vozes precisam ser ouvidas".

"A minha geração sabe o quanto isso nos custou, eu vi ontem um cartaz muito interessante que dizia 'desculpem o transtorno, estamos mudando o país'. Quero dizer que meu governo está atento a essas vozes pela mudança, está empenhado e comprometido pela pressão social", ressaltou a presidente.

"O Brasil hoje acordou mais forte. A grandeza das manifestações de ontem comprovam a energia da nossa democracia. A força da voz da rua e o civismo da nossa população. É bom ver tantos jovens e adultos, juntos com a bandeira do Brasil, cantando o hino nacional e dizendo com ‘orgulho sou brasileiro’ e defendendo um país melhor", acrescentou.

A presidente, porém, condenou atos de violência que, segundo ela, foram minoritários nas manifestações de ontem. "Não podemos aceitar jamais conviver com ela (violência)".

Dilma ponderou, ainda, que as ações isoladas "não ofuscam o espírito pacífico das pessoas que foram às ruas para pedir pelos seus direitos". Ela aproveitou um discurso durante o lançamento de projetos de leis que tratam do novo marco da mineração para falar sobre as manifestações.

Com Portal Terra