RS: três taxistas foram mortos pela mesma arma, diz secretário

Os três taxistas assassinados na madrugada de sábado em Porto Alegre (RS) foram mortos pela mesma arma calibre 22 e, provavelmente, pela mesma pessoa. A afirmação foi dada pelo secretário Airton Michels por telefone ao Terra na manhã deste domingo. 

De acordo com o secretário, os indícios levam à hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), mas outras possibilidades não estão descartadas. "Vamos ter que identificar a autoria (para saber a motivação) porque é muito raro três latrocínios dessa forma, mas os indicativos mostram que dos três taxistas foram substraídos valores ou o rádio, o que pode identificar um latrocínio", disse. 

Os taxistas Claudio Gomes, Edson Borges e Eduardo Ferreira foram encontrados mortos durante a madrugada de ontem em diferentes pontos da cidade. Após a identificação da primeira vítima, os motoristas realizaram uma manifestação que percorreu as ruas de Porto Alegre até a casa do governador do Estado, Tarso Genro. Por volta das 12h30 ocorreu uma nova reunião de motoristas em frente ao Palácio da Polícia. Os manifestantes ocuparam duas faixas da avenida Ipiranga e saíram em carreata pela cidade pedindo mais seguranças para os taxistas nas ruas.