OAB apoia projeto que proíbe escolas de homenagear ditadura

O presidente da  Comissão Nacional dos Direitos Humanos da OAB e da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro, Wadih Damous apoiou nesta segunda-feira (25) o projeto de lei apresentado pelo vereador Eliomar Coelho proibindo que qualquer repartição pública, ou mesmo escola, homenageie pessoas ligadas à ditadura militar. 

Atualmente, existem as escolas Costa e Silva, em Botafogo; Presidente Médici, em Bangu e Castelo Branco, no bairro da Sulacap. “Merece todo apoio a iniciativa do vereador. Homenagens devem ser dirigidas a quem fez boas coisas pela sua cidade, pelo seu estado ou seu pelo seu país e não a golpistas, torturadores e assassinos que mancham a nossa história”, afirmou Damous.

Segundo o presidente das duas Comissões,  em um estado democrático deve-se incentivar o apreço pela democracia, sobretudo no seio da juventude. Por isso, “dar nomes de ditadores  a uma escola pública significa um desrespeito à democracia e um culto a homens que perseguiram, mataram e torturaram dissidentes políticos”, destacou . 

Para Damous, “as homenagens devem expressar o reconhecimento por quem contribuiu para o fortalecimento do país, suas instituições e do regime democrático e não justamente pelo contrário como os atuais homenageados das três escolas públicas do Rio”.