SC: barreiras em "céu, mar e terra" contra ataques

Ministro Cardozo falou ao lado do governador Colombo

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (esq.), dá entrevista ao lado do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, em Florianópolis. O ministro afirmou que o Estado terá barreiras por \"céu, mar e terra\" contra a onda de ataques

O Estado de Santa Catarina será alvo de barreiras pela "terra, mar e céu", segundo informou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, na manhã deste sábado (16), em Florianópolis. Ele também afirmou que a Força Nacional de Segurança vai atuar por tempo "indeterminado" no Estado.

O ministro concedeu uma entrevista coletiva na sede do quartel general da Polícia Militar. Cardozo comentou a chegada da Força Nacional de Segurança e a transferência de 40 detentos para presídios federais do Rio Grande do Norte e Rondônia.

"Iremos trabalhar com bloqueios terrestre, aéreo e marítimo", afirmou o ministro, dizendo se tratar de uma "operação de guerra" para conter a onda de atentados. "Será realizada uma fiscalização intensa, uma operação pente-fino, e por isso a população que trafega pelas estradas precisa de paciência".

Acompanhado do governador Raimundo Colombo (PSD), Cardozo revelou que a operação policial deflagrada na manhã deste sábado já havia prendido pelo menos 25 pessoas. Cem mandados de prisão e de busca e apreensão estão sendo cumpridos desde a madrugada. Entre os detidos, estariam vários advogados que são suspeitos de atuar como informantes do crime organizado.

Para o governador catarinense, a operação realizada para conter a onda de crimes é "a maior já realizada no Estado".  Ele não descartou a possibilidade de novas transferências. "Estamos quebrando a espinha dorsal do crime organizado e a as operações da Força Nacional continuam por tempo indeterminado em Santa Catarina."

>> Ataques continuam mesmo após chegada da Força Nacional