Dilma vê feridos do incêndio em hospital de Santa Maria e famílias das vítimas

Presidente se emocionou e confortou os parentes de pessoas que estavam na boate

A presidente Dilma Rousseff chegou em Santa Maria, Rio Grande do Sul, nesta tarde, onde ocorreu o incêndio na discoteca Kiss, nesta madrugada que terminou com pelo menos 232 mortos e 131 feridos.

Dilma visitou o Hospital Caridade, onde foi ver alguns dos feridos da tragédia, que estão sendo atendidos lá. A presidente estava em Santiago, no Chile, onde participaria da Cúpula Celac-União Europeia. Após saber do caso, ela cancelou os compromissos oficiais que tinha hoje na capital chilena.

As famílias estão no Centro Desportivo Municipal de Santa Maria, para onde foram levados os corpos para identificação. Muito emocionada, a presidenta deixou o local sem falar com a imprensa. A presidente segue para a Base Aérea de Santa Maria, acompanhada pelo prefeito da cidade, César Schimer.

>> Dilma Rousseff decreta luto oficial de três dias devido tragédia no RS

>> Corpos de vítimas de incêndio em Santa Maria começam a ser velados

>> Udesc lamenta tragédia ocorrida em Santa Maria/RS 

>> Internautas de todo o país deixam mensagens sobre tragédia na página da boate

>> Prefeitura de Santa Maria decreta luto de 30 dias após tragédia 

Pela manhã, ainda no Chile, Dilma se emocionou ao comentar o incêndio que matou pelo menos 232 pessoas e deixou um número ainda não determinado de feridos, na Boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. “Eu queria dizer para a população do nosso país e para a população de Santa Maria o quanto, nesse momento de tristeza, nós estamos juntos e necessariamente iremos superar mantendo a tristeza”, disse.

Dilma adiantou que, da parte do governo federal, há mobilização de recursos para ajudar na identificação dos corpos e no socorro às vítimas. Ainda segundo a presidenta, o Rio Grande do Sul tem uma boa estrutura de saúde, mas o governo deslocará “tudo que for necessário”, inclusive colocará a base da Aeronáutica para dar apoio.

A presidente estava acompanhada do ministro da educação, Aloizio Mercadante; da ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, e do presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS). "É o tipo de tragédia que ninguém imagina que possa acontecer. Nossa preocupação agora é atender as famílias, e depois vemos outras coisas [apuração sobre as causas e responsáveis pelo acidente]", disse Marco Maia.

Dilma, que participava da reunião da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos com a União Europeia, no Chile, cancelou a participação em três reuniões com autoridades da Argentina, Letônia e Bolívia por causa da tragédia e seguiu para Santa Maria. Em rápida entrevista, ainda no Chile, a presidente se emocionou ao comentar a tragédia.

O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, a cerca de 300 quilômetros da capital Porto Alegre, resultou na morte de 232 pessoas e não de 245, conforme anunciado inicialmente pelas autoridades locais.

*Com informações da Agência Brasil.