Em show de aniversário de SP, Rita Lee critica gestões

"Daqui não saio, daqui ninguém me tira", brincou

A roqueira paulistana Rita Lee não poupou críticas e elogios a São Paulo durante o seu show que fez parte das comemorações pelos 459 anos da cidade, na noite desta sexta-feira (25). 

"Já fiz tanto por São Paulo. Já ameacei até me mudar. Mas São Paulo não pára. É isso que é do c******, não paramos. Na boa, se não fosse São Paulo, o Brasil seria menos. Daqui não saio, daqui ninguém me tira", completou.

Antes de cantar Ovelha Negra, um de seus maiores sucessos, Rita criticou as últimas prefeituras da cidade. "Eu acho que São Paulo é a ovelha negra do Brasil. Quando eu era pequena, vinha muito para esses lados (Centro). Hoje a cidade está abandonada, suja, violenta. Entra governo, sai governo", disse.

De terno preto e uma roupa branca cheia de babados vitorianos, ela aproveitou para, junto com a platéia, entoar em coro um pedido ao novo prefeito Fernando Haddad: "Ei, Haddad, cuide bem da nossa cidade!".  "É um prefeito jovem, bonito, gostosinho até. Eu posso falar isso porque eu tenho 67 anos. Ele faz aniversário também, então, parabéns aos dois", disse antes de tocar e desejar Saúde à cidade.

Rita presenteou os fãs com clássicos de seus quase 50 anos de carreira, cantando Ando Meio Desligado, Doce Vampiro, Lança Perfume, dentre outros. Sempre excêntrica, no bis, ela apareceu com um boneco de cobra naja na cabeça para cantar Erva Venenosa. 

A performance, sempre provocativa, desta vez, não teve maiores polêmicas. "Até agora eu não fiz nada, estou comportadinha. Até porque não me pagam cachê. Por favor, deem o testemunho para a Polícia, estou uma santa", ironizou.

Comemoração

Deixando de lado a aposentadoria, anunciada há um ano, Rita Lee começou o show com pouco mais de 1 hora de atraso. Ela subiu ao palco com a bandeira da cidade para cantar para as cerca de 35 mil pessoas que aguardavam a festa debaixo de uma chuva fina, característica marcante da capital paulistana. Zélia Duncan, Criolo, Emicida, Edgard Scandurra e Arnaldo Antunes completaram a festa no Vale do Anhangabaú.