Valério diz que mensalão pagou despesas pessoais de Lula

O empresário Marcos Valério disse, em depoimento prestado em 24 de setembro à Procuradoria-Geral da República, que o esquema do mensalão ajudou a bancar despesas pessoais não-especificadas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2003. O jornal O Estado de S. Paulo teve acesso às declarações de Valério e trouxe detalhes das denúncias na edição desta terça-feira. 

Ainda de acordo com a publicação, o ex-presidente deu "ok" para os empréstimos que serviriam de pagamentos a deputados da base aliada, em reunião no Planalto com a presença do ex-ministro José Dirceu e do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares.

Os recursos provenientes do mensalão teriam sido depositados na conta da empresa do ex-assessor da Presidência Freud Godoy, espécie de "faz-tudo" do presidente Lula, segundo o jornal. Valério ainda afirmou que Lula atuou a fim de obter dinheiro da Portugal Telecom para o PT. 

O empresário afirma que os R$ 4 milhões pedidos por seus advogados para defendê-lo no processo foram pagos pelo PT e relatou a montagem de uma suposta "blindagem" de petistas contra denúncias de corrupção em Santo André da gestão Celso Daniel. Em outra parte do depoimento, Marcos Valério diz que o diretor do Instituto Lula e amigo do ex- presidente, Paulo Okamotto o teria ameaçado de morte caso ele "contasse o que sabia". 

Valério conta, ainda, que repassou R$ 512.337 do esquema para financiar a campanha de Humberto Costa (PT) ao governo de Pernambuco, em 2002. O senador nega.