Temporal deixa 470 mil sem luz em Porto Alegre

O temporal que atingiu o Rio Grande do Sul na madrugada desta terça-feira provocou estragos em diversos municípios. Entre os mais atingidos estão Porto Alegre, São Jerônimo, Igrejinha, Lajeado. Na área atendida pela Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), 470 mil clientes estavam sem energia nesta manhã na capital.

Durante toda a madrugada, a Defesa Civil registrou ocorrências de residências destelhadas, quedas de árvore e postes de luz. Às 8h45, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) registrava 22 cruzamentos sem energia e a queda de três fios em vias, 13 árvores e quatro postes, em Porto Alegre.

Ainda na capital, os bairros mais atingidos, de acordo com a Defesa Civil, foram Rubem Berta, Partenon e Cefer. No início da manhã de hoje, o órgão ainda não tinha um balanço consolidado do número e tipos de ocorrência. 

Temporal e rajadas de vento

O temporal registrado nesta madrugada veio do Uruguai, onde causou pelo menos uma morte na segunda-feira, e provocou queda de energia elétrica. Várias cidades do interior do sul do Estado gaúcho foram atingidas. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), foram registrados ventos de até 119 km/h em Quaraí.

Na madrugada, quem já estava dormindo acordou com os trovões e o barulho do vento. "Nunca tinha visto um negócio desses. Um baita pedaço do telhado do prédio ao lado simplesmente voou pelo pátio", relatou um morador do bairro Teresópolis, em Porto Alegre. Moradores informaram, pelo Twitter, problemas em transformadores de energia elétrica em vários pontos da capital gaúcha. O tempo só foi melhorar por volta das 3h, quando a chuva diminuiu

Poucos minutos antes, em Dom Pedrito, perto da fronteira com o Uruguai, os bombeiros atenderam ocorrências de casas destelhadas no bairro São Gregório. Em Bagé, árvores caíram no centro da cidade. Não há relatos de vítimas.

As condições atmosféricas observadas sobre o Rio Grande do Sul no início da noite desta segunda-feira já apontavam preocupação. Por volta das 18h, as temperaturas por todo o Estado estavam extremamente altas e a pressão do ar estava abaixo de 1000 hPa - estas condições são em geral associadas a tempo severo.