Rio e Minas decretam luto por Niemeyer

Os governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e de Minas Gerais, Antonio Anastasia, decretaram luto de três dias em seus estados pela morte do arquiteto Oscar Niemeyer, ocorrida na noite desta quarta-feira. "Oscar Niemeyer foi o maior arquiteto do Brasil. Um gênio da arquitetura mundial. Doce no trato, firme nas suas convicções e amado pelo povo brasileiro", disse Cabral em nota oficial.

"Minas Gerais teve a felicidade de abrigar importante acervo arquitetônico assinado pelo espírito inovador desse grande arquiteto, cuja obra, como ultrapassou fronteiras, certamente, transporá o tempo. O mundo perde um grande pensador, mas suas ideias e ideais permanecerão", afirmou o governador Anastasia.

>> Governo do DF decreta luto de sete dias pela morte de Niemeyer

Entre as obras importantes em solo mineiro, se destacam o conjunto da Pampulha, projetado nos anos 1940 - onde pontuam a Igrejinha de São "Francisco e a Casa do Baile. "O seu último trabalho em Minas, realizado seis décadas após o primeiro, foi a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, inaugurada em março de 2010 e concebida para abrigar os órgãos da administração direta do Estado. Tem o arrojo a mostrar que a juventude não tem idade", destacou o governador.

"Não há outras palavras para defini-lo. Niemeyer era simplesmente genial, talento puro, ousadia e inquietude e também inspiração permanente", disse o senador Aécio Neves (PSDB-MG). "A sua obra tem o exato tamanho do autor, que teve uma trajetória exemplar, sempre coerente com suas ideias e convicções. Sempre ao lado do Brasil e dos brasileiros", completou.

Capital fluminense 

O prefeito de Rio de Janeiro, Eduardo Paes, também decretou luta oficial de três dias na capital fluminense. "Está todo mundo muito triste pela morte dessa grande figura. É uma pessoa que acreditou até o fim nos seus ideais. Foi ético e, acreditando nos seus princípios, ensinou como era amar a vida nestes 104 anos", disse no Hospital Samaritano, onde Niemeyer morreu.

Paes recordou que, em seu último Carnaval, o arquiteto teve a chance de realizar o sonho que foi assistir a um desfile de escola de samba no sambódromo, projetado por ele. "Há três, quatro meses estive com Niemeyer e ele só falava de projetos e de futuro. Ele foi um revolucionário, um homem que transformou, que durante todo o tempo pensou nas pessoas, principalmente nas mais pobres. Mas o que ele criou ficará entre nós como a lembrança de um grande carioca que fez a diferença", valorizou.

Nascido no bairro das Laranjeiras, Niemeyer deve receber uma homenagem especial da sua cidade natal. "Eu quero celebrar o Oscar Niemeyer. Uma pessoa qu amou tanto a vida e que fez tanta coisa pelo Brasil e pelo mundo e que jogou o nome do Brasil pelo exterior merece ser celebrado. Vamos pensar em algo muito importante, vamos convidar muita gente para celebrar a vida dele", prometeu.

Mais homenagens 

"Recebemos com tristeza a notícia da morte do arquiteto Oscar Niemeyer. Perdemos o homem que projetou o Brasil no mundo e desenhou as linhas do modernismo brasileiro. Nossos sentimentos à família e aos amigos", afirmou em nota oficial o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos também lamentou a morte de Niemeyer. "Ele foi um dos grandes gênios criadores que o Brasil legou ao mundo. Sua obra dá testemunho inequívoco da criatividade, elegância e força do povo brasileiro. Niemeyer viveu uma vida muito intensa, caracterizada, inclusive, por uma militância política muito comprometida", enalteceu Eduardo.

Da França, onde cumpre agenda oficial, a ministra da Cultura Marta Suplicy emitiu nota de pesar pela morte do arquiteto. "A genialidade de seus traços, a generosidade de sua alma e a firmeza de suas convicções fazem de Oscar Niemeyer um exemplo para a humanidade. Meu coração chora ao se despedir de um gigante na arte, poesia e coragem. Um homem que viveu na plenitude cada minuto de sua vida, com lado e posição e busca da beleza, da harmonia e justiça. A cidade de São Paulo deve a ele o seu mais bonito parque: o Ibirapuera. E, o mundo, a sua grandeza", disse.

Morre Oscar Niemeyer

O arquiteto Oscar Niemeyer morreu às 21h55 de 5 de dezembro, aos 104 anos, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, de infecção respiratória. Ele estava internado na instituição de saúde desde o dia 6 de novembro, onde alternou quadros de melhoria e de piora na saúde.

Considerado um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna mundial, Niemeyer foi responsável pelas principais obras da construção de Brasília, inaugurada em 1960. Carioca, nasceu em 15 de dezembro de 1907 no bairro de Laranjeiras, no Rio.