Presidente do TJ-AL reage a protesto e toma porrete de sem-terra 

Sem-terras de diversas entidades bloquearam a BR-316 em Alagoas na tarde desta sexta-feira e atacaram carros do governo do Estado e da imprensa. Enquanto os manifestantes partiam com pedaços de pau em direção aos veículos, presos no bloqueio da pista, senadores e autoridades corriam, protegidos por seguranças, para os veículos. O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Sebastião Costa, porém, resolveu enfrentar um sem-terra: enquanto ele dava pauladas em seu veículo, o magistrado desceu do carro e tomou o porrete das mãos do trabalhador rural.

Os dois tiveram de ser contidos. O incidente aconteceu minutos antes da visita da presidente Dilma Rousseff ao Estado. Os trabalhadores rurais dos movimentos de Libertação dos Sem-Terra (MLST), Terra Trabalho e Liberdade (MTL) e Movimento dos Sem-Terra (MST) trancaram a rodovia que dá acesso à cidade de Marechal Deodoro (25 km de Maceió), onde a presidente Dilma Rousseff inaugura a maior fábrica de PVC da América Latina, da Braskem.

No confronto, carros da imprensa foram atingidos por paus e pedras pelos sem-terra, logo depois que a polícia jogou bombas de efeito moral. "A determinação é que ficássemos a 300 m, mas atiraram na gente. O governo tem que aceitar as pressões e os conflitos, é uma democracia", disse o coordenador da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Carlos Lima.

Apesar da confusão, ninguém ficou ferido. "Estamos tentando ao menos ter o respeito às autoridades constituídas. Não estamos eliminando os direitos dos sem-terra, mas a liberdade está sendo cerceada. Nem a Dilma, que é líder maior do PT, quer a aproximação deles" , disse o vice-presidente do TJ, Nelma Padilha.

Representantes de sindicatos dos servidores federais, como Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Instituto Federal de Alagoas (Ifal) e outras entidades sindicais também protestam em Marechal Deodoro.