SP: MP investiga fraude com caneta gel em concurso público 

A Promotoria de Justiça de Cardoso, em São Paulo, deu mais um passo nesta quinta-feira nas investigações de suposta fraude no concurso público realizado pela prefeitura de Pontes Gestal, também no estado paulista, no último domingo.

Na manhã de hoje, o promotor Leandro Lippi fez uma varredura em todos os cadernos de respostas e 17 apresentaram suspeita de fraude. A avaliação do material foi realizada na presença da comissão responsável pelo concurso e representantes da SP Concursos, empresa que aplicou a prova.

A investigação iniciou depois que o Ministério Público recebeu a denúncia de que alguns candidatos, previamente escolhidos, teriam recebido uma caneta gel, para preenchimento da prova, e que posteriormente a tinta desapareceria e as questões corretas seriam assinaladas.

"Os gabaritos estavam aparentemente em branco, assinados pelos candidatos e com uma leve marca amarelada na questão respondida", afirma o promotor. Lippi ainda revelou que entre os supostos candidatos beneficiados estão quatro sobrinhos do prefeito, funcionários da prefeitura - concursados e comissionados -, e parentes de funcionários da prefeitura.

Na tarde ontem, antes mesmo da análise dos gabaritos, o prefeito de Pontes Gestal, Ciro Antonio Longo (PSDB), anulou o concurso sem nenhuma justificativa e anunciou que o valor referente à taxa de inscrição será devolvido a todos os candidatos. Os representantes da SP Concursos afirmaram ao promotor que estão surpresos com o resultado da abertura das provas.

Todos os candidatos que em tese foram beneficiados serão ouvidos e de acordo com os rumos das investigações o prefeito também. "Ainda estamos trabalhando com a suspeita de fraude, agora temos um elemento concreto que precisa continuar sendo investigado para saber quem são os envolvidos", disse o promotor.