Mantega descarta um novo reajuste de gasolina 

"Existe a possibilidade, não existe a decisão" , disse, desmentindo Lobão

Presidente do Conselho de Administração da Petrobras, Mantega disse hoje (8) que ainda não foi garantido ao comando da estatal um reajuste de preços para a Petrobras, desmentindo as declarações do ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, havia feito pela manhã. O comentário de Lobão provocou uma disparada das ações da estatal na Bovespa.

"Existe a possibilidade, não existe a decisão", afirmou o ministro à imprensa, embora admita que a empresa necessita do aumento. Isto porque a Petrobras compra combustível por preço mais alto do que o de revenda. É sabido que a defasagem de preços é uma das principais responsáveis pelo prejuízo de R$ 1,3 bilhão registrado na companhia no segundo trimestre deste ano. 

O anúncio de reajuste de 7,83% no preço da gasolina e de 3,94% no do diesel em 22 de junho não foi suficiente para equilibrar as contas da estatal. A mudança não alterou o preço final do combustível, porque no mesmo dia o Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico)foi zerado, a fim de evitar os efeitos inflacionários da medida. Em menos de um mês, em 12 de julho, a Petrobras anunciou nova alta no preço do diesel, que gerou um aumento de 4% na bomba para o consumidor final.