Mensalão: STF rejeita questão de ordem da defesa, e reinicia julgamento   

O plenário do Supremo Tribunal Federal negou, no reinício da sessão de julgamento da ação penal do mensalão, nesta terça-feira, questão de ordem proposta pelo advogado José Carlos Dias, em nome de sua cliente, Kátia Rabello, e dos demais defensores dos réus para que a sessão fosse suspensa, em virtude da ausência da ministra Cármen Lúcia.

Ela anunciara, no encerramento da primeira parte da sessão, que teria de se ausentar para tratar de assunto urgente no Tribunal Superior Eleitoral, do qual é presidente. Mas que prometia assistir, no dia seguinte pela manhã, aos vídeos das sustentações orais dos advogados das rés Kátia Rabello e Geiza Dias.

O presidente do STF, ministro Ayres Britto, afirmou que não havia nenhuma base legal ou regimental para impedir a continuação do julgamento, já que havia quorum para o prosseguimento da sessão. Ayres Britto preferiu, no entanto, colher os votos dos colegas sobre a questão de ordem. E todos negaram a interrupção da sessão, que prosseguiu com a sustentação oral do advogado de Geiza Dias, Paulo Sérgio Abreu e Silva. Em seguida, por volta das 19 horas, será a vez do defensor de Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural.