Petistas já discutem anistia política para José Dirceu 

Se for inocentado no julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-ministro José Dirceu vai cobrar do Congresso sua anistia política para poder voltar a disputar eleições já em 2014. Ele teve seu mandato de deputado federal cassado em 2005 por causa do envolvimento no escândalo e acabou perdendo os direitos políticos, só podendo se candidatar a partir de 2015. Segundo a assessoria do réu, a anistia é um desejo, mas não há nenhum plano concreto. Aliados, entretanto, já definem o desejo como um "direito" do colega. 

O deputado Devanir Ribeiro (PT-SP), por exemplo, diz que se fosse Dirceu, pleitearia a anistia. As informações foram publicadas no jornal O Estado de S. Paulo.

A tese da anistia pode beneficiar também Roberto Jefferson (PTB) e Pedro Corrêa (PP), que também perderam seus mandatos por causa do escândalo. Na Câmara já está em tramitação um projeto solicitando a anistia dos três cassados. 

A proposta, de autoria do ex-deputado Ernandes Amorim (PTB-RO), argumenta que a pena é injusta porque outros parlamentares mencionados no esquema foram absolvidos. Em novembro de 2011, o projeto chegou a ser incluído na pauta da Comissão de Constituição e Justiça, quando João Paulo Cunha (PT-SP) presidia o colegiado. Cunha também é réu no STF, mas foi absolvido pelos pares em plenário. Ele acabou retirando a proposta da pauta.