Ao batizar plataforma P-59, Dilma fala em "transformar crise em oportunidade"

Ao participar da cerimônia de batismo da Plataforma P-59 em Maragojipe, na Bahia, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira que não recorrerá a medidas de austeridade no combate à crise econômica, como fazem alguns países da Europa. A presidente afirmou ainda que vai transformar a crise econômica internacional em oportunidade para o Brasil melhorar as condições de produção.

“Nós progressivamente iremos transformar a crise em uma oportunidade para cada vez mais melhorar as condições do nosso país de produzir, crescer, aumentar sua renda e distribuir (…) O meu governo, eu posso assegurar a vocês, está atento para garantir que o nosso país, diante desta situação internacional, tenha um desempenho o melhor possível e saia dessa crise aproveitando oportunidades que sempre uma crise traz”, afirmou a presidente.

>> Informe JB: Estranhas coincidências da Petrobras

Dilma afirmou que o governo está removendo entraves ao crescimento econômico sustentável do país ao reduzir as taxas de juros e os impostos. Segundo ela, o governo também trabalha para diminuir os custos da produção.

“Nós queremos de forma sistemática diminuir os custos no Brasil, não da forma como eles estão fazendo lá fora, que é reduzir o salário e os ganhos sociais que os trabalhadores conquistaram ao longo de toda uma história e uma vida de lutas. Nós queremos reduzir os nossos custos baseado na redução dos impostos e na capacitação cada vez maior da nossa força trabalho. O nosso caminho não é o caminho de tirar direito dos trabalhadores. O nosso caminho é outro”, disse.

A presidente disse que o Brasil, ao contrário de alguns países europeus, buscará que os bônus, as vantagens e os lucros do desenvolvimento sejam distribuídos à população. Segundo Dilma, o governo fará concessões em várias áreas para assegurar uma taxa crescente de investimento e de geração de emprego.

Com informações do Blog do Planalto