Como era previsto, ex-chefe de gabinete de Perillo se recusa a depor 

Eliane Gonçalves Pinheiro, ex-chefe de gabinete do governador de Goás, Marconi Perillo, foi liberada pela CPMI do Cachoeira de depor após ter dito que não deporia por orientação do seu advogado. Ela obteve na Justiça o direito de permanecer em silêncio.

Eliane é acusada de repassar informações sobre operações policiais. Segundo a PF, ela avisou Geraldo Messias, prefeito de Águas Lindas (GO), que agentes fariam uma operação de busca na casa dele numa operação de combate a fraudes contra a Receita Federal em Goiás. Logo que as denúncias vieram à tona, ela pediu exoneração. Ela conseguiu habeas corpus para ter o direito de permanecer em silêncio sem sofrer constrangimentos e também alegou problemas de saúde para não comparecer.