Mais de 300 mil pessoas são vacinadas em São Paulo

São Paulo – Em São Paulo, a meta é imunizar 5,3 milhões de pessoas, entre idosos, crianças de 6 meses a 2 anos, gestantes, indígenas e profissionais de saúde, durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Para quem não se vacinar hoje (5), 7 mil postos estarão disponíveis em todo o estado até o dia 25 de maio.

Nas três horas iniciais da campanha, 300,8 mil pessoas receberam a vacina no estado, de acordo com boletim preliminar divulgado pela Secretaria de Saúde. O grupo de idosos foi o maior de adesão, com 225,4 mil pessoas com mais de 60 anos imunizadas. Em seguida vêm crianças com idade entre 6 meses e 2 anos (42,9 mil), trabalhadores da saúde (14,5 mil), gestantes (14,2 mil) e indígenas (3,8 mil).

Entre as pessoas que procuraram um posto de saúde no primeiro dia da campanha está lza Bernardo, de 63 anos. “Gripe pra mim era um problemão, mas agora não passa de alguns espirros”, disse ela, que faz questão de tomar a vacina todos os anos. Iza foi ao Centro de Referência do Idoso (CRI) de São Paulo com o marido Edson Andrade, de 63 anos, que também relata melhoras no enfrentamento à doença. “Quando a gente é mais jovem tem mais resistência, com a idade vai ficando mais frágil. Tomo a vacina desde 2009 e sinto que agora a gripe não me pega mais de jeito.”

No CRI, estão sendo vacinados somente adultos, com destaque para os idosos. Pela manhã, na abertura da campanha, os participantes tiveram atividades de relaxamento e musicoterapia. Até o meio-dia de hoje, foram atendidas cerca de 100 pessoas, o que correspondia às expectativas da coordenação do centro.

Assim como o casal Elza e Edson, Edvaldo Ferreira, de 76 anos, compareceu ao primeiro dia de vacinação e contou que se sente mais forte para enfrentar as mudanças de clima. “Deixei de tomar a vacina uns dois anos, quando me mudei para Bahia, e, nesse período, as gripes que tive foram mais fortes. Se eu gripar agora, basta tomar um chá de alho com limão para ficar bom”, disse o aposentado.

Segundo Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, a campanha estabelece esses grupos como público-alvo da vacinação, tendo em vista que eles estão mais suscetíveis a apresentar complicações decorrentes de uma gripe. “Essas pessoas podem até gripar, mas o objetivo é, principalmente, evitar complicações como pneumonia e a necessidade de internação hospitalar”, explicou a diretora.

A vacina imuniza contra três tipos de vírus: A H1NI, A H3N2 e B. A única contraindicação é para pessoas que apresentarem reação após a ingestão de ovo. “Para pessoas que, nas primeiras duas horas após consumir ovo, apresentarem urticária, lábios e olhos inchados, a vacina é contraindicada, mas ressaltamos que essa é uma situação muito rara”, acrescentou Helena.

A diretora esclareceu, ainda, que não mais que 10% das pessoas imunizadas podem apresentar sintomas como febre e dor de cabeça e no corpo, em decorrência da vacina. “Se isso ocorrer, a indicação é que o paciente tome uma medicação para controlar o sintoma. Nossa experiência, em 14 anos de campanha, é que a vacina contra a gripe é extremamente segura”, declarou.