Donos põem construtora Delta à venda para evitar fechamento 

No centro do escândalo envolvendo o bicheiro Carlinhos Cachoeira, a construtora Delta foi posta à venda para tentar salvar as operações da empresa. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, pessoas com acesso à operação informaram que o grupo JBS manifestou interesse na aquisição. 

Procurado, o empresário Joesley Batista, presidente da holding que controla o frigorífico JBS, disse que não poderia comentar o caso: "Vixe! Não posso falar disso, não". Já a Delta optou por não se pronunciar a esse respeito. 

As negociações, segundo quem acompanha o caso, estão a cargo do ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, que comanda o conselho de administração da holding. Procurado, Meirelles não foi localizado. 

Até quinta-feira, havia uma orientação para que a operação não fosse confirmada sob pena de prejudicar qualquer costura de negócio para a Delta, líder em contratos do PAC e maior recebedora de recursos do Executivo. 

A intenção de venda do grupo havia sido publicada pelo jornal O Globo no sábado passado. Sócio-majoritário e presidente licenciado da Delta por conta do escândalo, Fernando Cavendish admitiu em abril o risco de a empresa ir à falência após a operação Monte Carlo da Polícia Federal e a instalação da CPI sobre Cachoeira. Escutas da PF indicam que o ex-diretor da empresa no Centro-Oeste era parceiro do contraventor em negócios. Dinheiro da construtora foi colocado em empresas fantasmas de Cachoeira, que por sua vez alimentaram campanhas políticas. A Delta vem tentando concentrar as eventuais irregularidades na figura do ex-diretor.