Novos prédios levarão 50 mil carros para a Marginal Pinheiros 

Nos próximos anos, São Paulo terá 12 novos empreendimentos na Marginal Pinheiros, que vão criar quase 50 mil vagas de estacionamento ao longo de uma das principais vias da capital, já bastante congestionada. A maior parte desses megacomplexos - que abrigarão torres comerciais e residenciais, hotéis e shoppings - concentra-se nas regiões de Santo Amaro, Chácara Santo Antônio, Morumbi, Vila Olímpia e Itaim-Bibi, na zona sul. Esses projetos constam de uma lista de 200 empreendimentos de grande porte - levando em consideração o m² construído e o número de vagas criadas - tidos como polos geradores de tráfego. A relação foi elaborada pela Secretaria Municipal de Habitação e enviada ao Ministério Público Estadual (MPE). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Com base nessa listagem, o MPE quer saber quais são as contrapartidas exigidas pela prefeitura para aprovar os projetos e que tipo de obras viárias serão cobradas da iniciativa privada para que o trânsito no entorno dos empreendimentos não vire um caos. "Nossa prioridade neste ano é investigar como a mobilidade urbana vem sendo tratada pelo poder público", afirma o promotor José Carlos de Freitas, da Habitação e Urbanismo. "Os reflexos não são sentidos apenas no trânsito - também afetam outras áreas, como a permeabilidade do solo da cidade." 

O maior empreendimento - em tamanho e número de vagas - fica na região da Chácara Santo Antônio, nos terrenos das antigas fábricas Monark e Timken, entre as ruas Engenheiro Mesquita Sampaio, José Vicente Cavalheiro, João Peixoto dos Santos e Antonio de Oliveira. O terreno tem 585 mil m² e vai criar 10.483 vagas. Além de hotel e shopping center, terá torres comerciais e residenciais. As obras ainda nem começaram, mas já preocupam os vizinhos. "Está todo mundo preocupado com as desapropriações que devem ocorrer para que as obras viárias sejam realizadas", disse a professora aposentada Sueli Labônia, 60 anos, que mora no local há 36 deles.