Pedro Simon pede garantia de vida para Carlinhos Cachoeira

Em discurso no Senado na última sexta-feira (20), o senador Pedro Simon (PMDB-RS) se pronunciou sobre a instauração da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investigará as ligações políticas do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Durante seu discurso, o parlamentar lembrou do pedido que fez no Conselho de Ética pela garantia de vida de Cachoeira, que saiu de um presídio de segurança máxima, no Rio Grande do Norte, e foi para uma cela aberta, onde divide o espaço com aproximadamente 20 presos, em Brasília.

"O senhor Cachoeira é uma bomba ambulante. O que tem de gente atrás dele, o seu arquivo é tão intenso, é uma interrogação  tão intensa, que a pergunta é: qual será o próximo golpe?"

Se referindo ao bicheiro como um "arquivo ambulante", Simon comparou o caso com o assassinato do tesoureiro da campanha de Collor, PC Farias, em 1996, dizendo ainda que o "senhor Cachoeira está numa situação mil vezes mais delicada". 

O senador aproveitou a ocasião para lembrar a relação do ex-presidente Lula com o bicheiro. Ele contou que, no início do governo do petista, após uma denúncia de corrupção envolvendo o subchefe da Casa Civil, Waldomiro Diniz, pediu ao presidente que o expulsasse e abrisse um processo contra Cachoeira, o que não aconteceu. Ele criticou a tentativa de interferência do ex-presidente na escolha do relator da CPMI. 

"O que o senhor Lula tem que se meter em indicar o relator da comissão?", indagou o parlamentar.