Demóstenes agia como 'sócio oculto' da Delta, diz procurador 

O senador Demóstenes Torres se utilizou do cargo para negociar um projeto de R$ 8 milhões em favor da empreiteira Delta, apontam escutas e relatórios do Ministério Público e da Polícia Federal. 

Na gravação, ele condiciona o envio de recursos para um parque ecológico em Anápolis (GO) à escolha da Delta para tocar o projeto. Para o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, o senador seria "sócio oculto" da Delta.

O senador diz a Carlinhos Cachoeira que o prefeito de Anápolis, Antônio Gomide (PT), lhe pediu ajuda para construir o parque. "Falei para ele que precisava então que desse... é, preferência para vocês", diz. 

Um dia depois, Cachoeira relata a conversa a um diretor da Delta, Cláudio Abreu. O advogado do parlamentar, Antônio Carlos Castro, afirma que as acusações são um "absurdo". "O MP levanta suspeitas e faz ilações a partir de escutas feitas pela Polícia Federal." Já a defesa da Delta afirma que não há qualquer relação com o político.