Comitê pede impeachment de Agnelo após denúncias no DF

O diretor do Comitê Ficha Limpa do Distrito Federal e do Movimento Adote Um Distrital, Diego Ramalho Freitas, apresentou na tarde de segunda-feira à Câmara Legislativa do DF um pedido de impeachment contra o governador Agnelo Queiroz (PT), após denúncias de seu suposto envolvimento com a quadrilha comandada pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

"A situação está insustentável, e a sociedade precisa de explicações por parte do governador Agnelo", defendeu Ramalho. Segundo ele, pesquisa realizada pelo Movimento Adote Um Distrital revela a insatisfação da população diante de possível envolvimento de Agnelo no escândalo Cachoeira. "Mais de 90% das pessoas que participaram da enquete foram favoráveis ao impeachment do governador."

No documento, estão transcritos trechos do relatório da Polícia Federal em que membros do primeiro escalão do governo do Distrito Federal estariam negociando propina com representantes da empresa Delta, que domina os contratos de coleta de lixo no DF. "A empresa vem sendo beneficiada há anos e, somente entre 2011 e 2012, recebeu mais de R$ 100 milhões do governo", afirmou Ramalho.

Entre os participantes do ato de entrega do pedido de impeachment estava Toninho do Psol, presidente do partido no DF. Desde o ano passado, ele cobra a investigação do governador Agnelo Queiroz em suposto esquema de corrupção no programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte.

Recebido o pedido de impeachment, o presidente da Casa, deputado Patrício (PT), deverá encaminhá-lo para análise da Procuradoria, cujo parecer vai subsidiar a decisão do presidente. Se considerado admissível, o documento deverá passar pela Comissão de Constituição e Justiça e por uma Comissão Especial criada para o caso.