RS: falta de provas em concurso do magistério causa desistências 

As provas para o concurso público que deve selecionar 10 mil professores para o quadro de carreira do magistério do Rio Grande do Sul foram aplicadas neste domingo em 154 escolas de todo o Estado, sendo que em uma de Uruguaiana houve mais candidatos que provas. Segundo a coordenação do concurso, Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), esse foi o único transtorno identificado na aplicação dos testes.

"Não foi vedado que os candidatos fizessem a prova. Disponibilizamos aplicar as provas em escolas vizinhas, com cópias das originais, e alguns inscritos optaram por não fazer", informou a assessoria da FDRH, segundo a qual a quantidade de pessoas que abandonaram o concurso em Uruguaiana representa 0,13% entre os 69.614 inscritos totais e 1,5% entre os concorrentes para a habilitação afetada, educação física.

Segundo a assessoria, "não existe a menor possibilidade de que a anulação (do concurso ou da prova) aconteça. Para quem organiza um concurso deste montante, é sempre possível que isso (falta de provas) aconteça, como já aconteceu antes no Estado. Foram fornecidas cópias aos candidatos. Consideramos que houve desistência".

O concurso envolve seis áreas do conhecimento que compreendem 131 habilitações. Foram distribuídos 68 tipos diferentes provas, incluindo a de línguas indígenas. A abstenção não havia sido divulgada até as 20h30 deste domingo, mas era calculada em cerca de 10% pela coordenação. O gabarito oficial deverá ser divulgado no dia 19 de abril.