Com dores no peito, Sarney é submetido a cateterismo  

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi a um cateterismo (diagnóstico sobre possíveis obstruções no coração) após sentir dores no peito, no início da madrugada deste domingo. Durante o procedimento, foi detectada uma obstrução em uma artéria, solucionada por meio da colocação de um stent (pequena prótese metálica que facilita o fluxo sanguíneo).

O estado de Sarney, internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Cardiológica, é estável. Ele foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, no final da tarde desse sábado, por sentir dores de cabeça. À noite, a equipe médica do hospital optou pela internação do paciente. O cateterismo havia sido programado incialmente para a manhã deste domingo.

O senador completa 82 anos no próximo dia 24. Em outubro de 2010, Sarney chegou a ser internado no Sírio-Libanês com um quadro de arritmia cardíaca e de esofagite. Ele ficou duas semanas hospitalizado. A equipe que assiste Sarney é coordenada por Roberto Kalil Filho, também médico do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Sírio-Libanês

Recentemente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concluiu o tratamento contra um câncer na laringe no Sírio Libanês. Lula faz agora sessões de fonoaudiologia na instituição.

A presidente Dilma Rousseff e o ex-vice-presidente José Alencar, morto em 2011, também já foram internados no hospital. Políticos como Geraldo Alckmin, Cláudio Lembo, Orestes Quércia e Romeu Tuma passaram pelas mãos dos médicos do Sírio-Libanês.

Lideranças da América do Sul também já foram atendidas no hospital. Em janeiro, o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, chegou a se encontrar com Lula no Sírio-Libanês quando fazia exames de acompanhamento após tratamento de um câncer linfático.